ATUALIZAÇÕES JURÍDICAS

 

SOU POSSUIDOR OU PROPRIETÁRIO DO MEU IMÓVEL?

O presente artigo se presta a mostrar as diferenças conceituais e práticas entre ser possuidor e ser proprietário de um imóvel.

 

“Com os preços e juros em baixa, investir em imóveis voltou a ser um bom negócio[1]”, é o que recentemente escutamos depois de tempos sofrendo com os altos preços e a forte inflação de casas e apartamentos proporcionado pelo efeito da chamada “bolha imobiliária”.

Muitas vezes a realização do sonho da casa própria, mesmo com algumas facilidades, pode se tornar um pesadelo pela simples falta de informação daqueles que deixam de se atentar à pequenas burocracias.

Aqueles que adquirem um imóvel, em alguns casos, acreditam ser proprietários apenas pela assinatura e posse do contrato ou compromisso de compra e venda do novo bem, mantendo sob seus cuidados o famoso “contrato de gaveta”.

Porém não passam de meros possuidores, já que, no cartório de registro de imóveis, ainda permanece o nome do antigo proprietário, ou de outro proprietário que não é o vendedor, impossibilitando os exercícios de diversos direitos inerentes à propriedade.

Sobre a posse, a legislação brasileira diz:

“Considera-se possuidor todo aquele que tem de fato o exercício, pleno ou não, de algum dos poderes inerentes à propriedade”. (Artigo 1.196 do código civil brasileiro)

Em outras palavras, a posse é a conduta de ser dono, ou seja, aquele que acredita que, independente de escrituras e documentos, o imóvel é seu.

Um grande exemplo é a pessoa que aluga um imóvel, mesmo que não seja a real dona da casa/ do apartamento sua postura para com aquele espaço é como se dono fosse, mas não é. O locatário não pode vender, por exemplo, o imóvel alugado, tampouco sublocar a propriedade sem a autorização do real dono.

As principais implicações de não ter o imóvel registrado em seu nome, é o embaraço para uma futura venda e a impossibilidade de transferir o imóvel não registrado para os seus herdeiros.

Do outro lado, temos a figura do proprietário como aquele que passou por todas as burocracias necessárias para ter em sou nome o registro efetivo de determinado imóvel e o direito brasileiro também fala sobre propriedade:

“O proprietário tem a faculdade de usar, gozar e dispor da coisa, e o direito de reavê-la do poder de quem quer que injustamente a possua ou detenha”. (Artigo 1.228 do código civil brasileiro)

O proprietário, por força da lei, tem aptidão para utilizar, vender, locar aquele imóvel, pois é seu. É o nome do proprietário que está registrado no cartório de registro de imóveis.

Logo, podemos dizer que todo proprietário é um possuidor do seu imóvel, mas nem todo possuidor é proprietário.

Por essa razão, sempre recomendamos a avaliação do bem que será futuramente adquirido, bem como a averbação do contrato de compra do imóvel no cartório competente.

 

Procure o seu advogado para ter mais informações sobre este assunto.

Inventário Judicial e Extrajudicial

VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS INVENTÁRIOS JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL

Taxa Condominial

SOU POSSUIDOR OU PROPRIETÁRIO DO MEU IMÓVEL?

INSS JUSTIÇA DE SÃO PAULO

JUSTIÇA DE SÃO PAULO REVERTE DECISÃO DO INSS QUE NÃO RECONHECIA PEDIDO DE APOSENTADORIA POR TEMPO DE SERVIÇO.

Taxa Condominial

TAXA CONDOMINIAL PODE SER COBRADA DE NÃO PROPRIETÁRIOS DE UNIDADES EM CONDOMÍNIO?

Descarte correto de entulho

CUIDADOS NA CONTRATAÇÃO DE CAÇAMBAS PARA DESCARTE DE ENTULHOS